Antes de investir

Direitos e deveres dos cotistas

Ao adquirir cotas de um determinado fundo, o investidor está concordando com suas regras de funcionamento e passa a ter os mesmos direitos e deveres dos demais cotistas, independentemente da quantidade de cotas que possui. O exame do regulamento é fundamental para a tomada de uma decisão de investimento.

É obrigação do administrador fornecer o regulamento e a lâmina de informações esseniais do fundo a todos os cotistas, assim como relatórios, além de divulgar ampla e imediatamente qualquer informação que possa influenciar na decisão do cotista em permanecer investindo.

É fundamental que o cotista mantenha seu cadastro atualizado junto ao administrador, acompanhe todas as informações relativas ao fundo e participe das assembleias. E caso identifique alguma eventual violação da legislação ou das regras contidas no regulamento do fundo, pode reclamar junto à CVM, por intermédio de um dos canais de atendimento ao cidadão da CVM.

 

Risco x retorno

Podemos considerar o risco como sendo a possibilidade de não se atingir o retorno esperado do investimento. E diversos fatores podem concorrer para isso, incluindo mudanças na política, na economia, nas regras de tributação etc.

No caso de um fundo de investimento, o principal risco é aquele inerente aos ativos que compõem a carteira. Porém, há três riscos principais aos quais o investidor está invariavelmente sujeito: o risco de mercado, o risco de crédito e o risco de liquidez.

O primeiro é o decorrente das oscilações nos preços dos títulos que compõem a carteira do fundo. Uma vez que estes ativos são contabilizados por seu valor de mercado, quanto maior a oscilação nos preços, maior a oscilação no valor das cotas e mais difícil estimar o valor de resgate ou de venda das cotas.

Já o risco de crédito se refere à certeza sobre a liquidação do título na data de vencimento. Quando o fundo adquire um título, está emprestando dinheiro a alguém e, certamente, correndo o risco de que o tomador dos recursos não honre a obrigação, ou não pague os juros combinados.

Por fim, existe o risco de liquidez, que tanto pode ser dos ativos quanto das cotas que compõem o fundo. No caso dos ativos, o risco de liquidez consiste na eventual dificuldade que o administrador possa encontrar para vender os ativos que compõem a carteira do fundo, ficando impossibilitado de atender aos pedidos de resgate do investimento. No caso das cotas, o risco de liquidez decorre da dificuldade, no fundo fechado, do investidor encontrar um comprador para as suas cotas, forçando-o a vender por um valor mais baixo que o esperado, caso sua necessidade de recursos seja imediata.

Por tudo isso, é importante que o investidor se mantenha informado sobre os ativos que compõem a carteira do fundo, sobre as restrições ao resgate e sobre o mercado para a negociação de cotas de fundos fechados, tanto na hora de investir quanto periodicamente, para decidir se permanecerá ou não com o investimento.

Não se esqueça de que o retorno de um investimento costuma estar associado ao seu grau de risco. Expectativa de retornos melhores normalmente estão associados a um maior grau de risco. As aplicações mais conservadoras costumam apresentar uma menor rentabilidade.

Desconfie de fundos de investimento que apresentem rentabilidade muito superior aos demais fundos da mesma natureza, pois é possível que o seu gestor esteja incorrendo em um risco muito maior que os demais e que, talvez, não seja adequado ao seu perfil.

 

Vantagens e desvantagens

A principal vantagem dos fundos é possibilitar que investidores de perfil similar - com objetivos comuns, estratégias de investimento semelhantes e mesmo grau de tolerância a risco - concentrem recursos para aumentar seu poder de negociação e diluir os custos de administração, além de contarem com profissionais especializados, dedicados exclusivamente à gestão dos recursos.

Já as desvantagens estão associadas ao fato de o investidor delegar a terceiros a administração de seus recursos - falta de autonomia na tomada de decisão, submissão a regras previamente estabelecidas e à vontade da maioria dos cotistas, entre outras.

A CVM desenvolveu uma ferramenta que permite ao investidor comparar as características dos diferentes fundos ofertados pelas instituições financeiras. Para acessá-lo clique aqui.

 

Perguntas importantes antes de investir em um fundo de investimento:

  • Qual a classe do fundo? Está em linha com os meus objetivos?
  • Qual a taxa de administração cobrada pelo fundo? São cobradas outras taxas (performance, ingresso, saída)? Quais?
  • Onde e como posso obter o regulamento do fundo e a lâmina de informações essenciais?
  • Que tipo de informações tenho direito a receber sobre o fundo?
  • Com que periodicidade vou receber informações?
  • Qual é o prazo de resgate?
  • Qual foi o desempenho desse fundo até o momento? 
  • Onde posso obter informações sobre seu desempenho?
  • Que posição ocupa em comparação a outros fundos semelhantes, ou ainda em relação a um índice de mercado?
  • Que papéis compõem a carteira desse fundo? Existem limites para a composição dessa carteira?
  • Com que frequência esses papéis são trocados?
  • Há, na composição da carteira desse fundo, algum título ou valor mobiliário com alto grau de risco, como, por exemplo, derivativos? Ações sem liquidez? Empresas concordatárias? 
  • Quais os riscos específicos de investimento nesse fundo?
  • Qual o investimento mínimo inicial? E os subsequentes, têm algum limite?

Alguns cuidados devem ser observados no momento da adesão a um fundo, ou durante o período em que o investidor dele participar, recomendando-se:

1) Escolher cuidadosamente o administrador do fundo e informar-se sobre o gestor da carteira, caso seja terceirizado;
2) Conhecer detalhadamente a política de investimentos adotada, a fim de escolher a alternativa que melhor atenda ao perfil de risco e retorno do investidor;
3) Verificar se as despesas cobradas pelo fundo justificam o desempenho apresentado;
4) Ler atentamente o regulamento e a lâmina de informações essenciais do fundo escolhido, antes de ingressar no mesmo.

 

Continue aprendendo sobre os fundos de investimento.